DUAS MULHERES SÃO DETIDAS POR CORRUPÇÃO ATIVA



        Plantão policial, polícia civil de Areia Branca, prende em flagrante delito duas senhoras por corrupção ativa, ocasião em que ofereceram 6.000,00 em espécies, para adiquirir vantagens em processo de um parente já por varias vezes deu entradas por tráfico conhecido por Lucio Mauro.

      As Mulheres conhecidas como : Vera Lucia da Silva Cabelereira
e Mary Cristina da Silva,ambas residente no bairro são joão, ambas receberam voaz de prisão dos agentes da policia civil,após ser configurada a tentativa de suborno.





Fotos Cedidas : Policia Militar
 

FOTO DE ACIDENTE COM DUAS VITIMAS FATAIS PROVOCA ESPANTO, POIS SUPOSTAMENTE APÁRESSE DOIS ESPIRITOS DE MÃOS DADAS EM GOIÁS


       
        Uma imagem de um acidente com duas mortes, ocorrido na PR 180, próximo de Goioerê, está causando polêmica na Internet. Publicada pelo site Goionews, a foto da tragédia está chamando a atenção porque, para muitas pessoas, é possível enxergar duas pessoas de mãos dadas no alto de um barranco – onde, segundo testemunhas, não havia ninguém no momento da foto.
Se a imagem já causa um certo arrepio, depois que você ler a história do acidente, vai dar mais calafrios. 

        Pois, os supostos espíritos que aparecem na foto acima, para alguns, trata-se da alma das duas mulheres que morreram na colisão – Edna Silva Amaral e Leonice de Lara.




     Já outros sugerem que, como o filho de Edna faleceu em um acidente nas proximidades do local em que Edna também perdeu a vida, a imagem mostraria o filho vindo buscar a mãe. E claro, há também quem diga que tudo não passa de ilusão de ótica.

POLICIA MILITAR PRENDE UM POR TRAFICO E CONSSUMO DE DROGAS NO BAIRRO NORDESTE



A policia Civil  em conjunto com a Policia Militar prendeu agora a pouco,na Rua Fortaleza Bairro Nordeste o individuo conhecido como LELECO natural de Areia Branca, por tráfico de drogas, a operação foi feita com os agentes da civil com o apoio do Capitão Andrelino e uma Guarnição da PM.

 Leleco como é conhecido já teve várias passagens por consumo e tráfico.

Leleco

    
Material Apreendido
 Fotos Cedidas : Policia Militar

Morre aos 70 anos ex-governador do RN, Iberê Ferreira de Souza


      

Ex-governador estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.
Iberê Ferreira de Souza lutava contra o câncer desde 2010.

 

    

Iberê Ferreira (PSB) (Foto: Augusto Ratis/Futura ) 
Iberê Ferreira acompanhado da neta durante a
eleição de 2010 (Foto: Augusto Ratis/Futura )
Morreu na noite deste sábado (13) o ex-governador e ex-deputado federal do Rio Grande do Norte, Iberê Ferreira de Souza, de 70 anos. O ex-governador estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação de Iberê. Ele lutava contra um câncer desde 2010 e em junho deste ano foi hospitalizado após ser diagnosticado com uma meningite bacteriana. No entanto, a causa da morte ainda não foi confirmada.

Em nota divulgada na noite deste sábado, a assessoria de comunicação confirmou o falecimento do ex-governador. "Homem público, íntegro, com mais de 40 anos dedicados à política, apaixonado pela vida e pelas questões sociais, mas acima de tudo Iberê foi um pai amoroso e completamente dedicado à família", diz um trecho da nota.
Iberê descobriu o câncer antes de assumir o governo, em 2010, e desde então passou por uma série de cirurgias. No dia 2 de junho deste ano, o ex-governador deu entrada na Casa de Saúde São Lucas, em Natal, com um quadro de meningite bacteriana. No mesmo mês ele foi transferido para o Hospital Sírio-Libanês por escolha da família.

A meningite foi causada por uma bactéria encontrada no couro cabeludo do ex-governador. A bactéria se instalou na meninge por causa de uma cicatrização na cabeça de Iberê, fruto de uma cirurgia realizada no mês anterior, em São Paulo.

Veja nota de falecimento na íntegra
É com profundo pesar que informamos o falecimento do ex-governador Iberê Ferreira de Souza, ocorrido na noite deste sábado (13). Homem público, íntegro, com mais de 40 anos dedicados à política, apaixonado pela vida e pelas questões sociais, mas acima de tudo Iberê foi um pai amoroso e completamente dedicado à família.
Neste momento tão doloroso, nossos corações e nossas orações estão com ele. Que esteja em paz e ao lado do Criado.
Iberê Ferreira de Souza, ex-governador do RN (Foto: Canindé Soares/G1) 
Iberê Ferreira de Souza, ex-governador do RN
(Foto: Canindé Soares/G1)
 
Trajetória
Advogado de formação, Iberê Ferreira de Souza se formou em Direito na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e especialização em advocacia empresarial pela Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro.

Foi pela primeira vez eleito deputado estadual em 1970 pelo extinto Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido que reuniu os opositores ao Regime Militar, representado pela Aliança Renovadora Nacional (Arena). Iberê também foi eleito deputado estadual em 1974 antes de ser chefe da Casa Civil e secretário no governo de Lavoisier Maia entre 1979 e 1983.

No ano de 1982 foi eleito suplente de deputado federal, assumindo o cargo depois. Também participou do governo de José Agripino Maia em 1983. Pelo Partido da Frente Liberal (PFL), Iberê foi eleito para três mandatos de deputado federal em 1986, 1990 e 1994. Depois mudou para o Partido Progressista Brasileiro (PPB), legenda pela qual foi secretário do governo de Garibaldi Alves Filho, em 1997. Iberê deixou o cargo e conquistou um novo mandado de deputado federal em 1998.

O advogado ainda seria eleito mais uma vez deputado federal pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), em 2002, antes de ser secretário no primeiro governo de Wilma de Faria, com quem foi eleito vice-governador na eleição seguinte, em 2006.

Iberê Ferreira assumiu o governo em 2010, quando a então governadora Wilma de Faria deixou o cargo para disputar uma vaga no Senado. O advogado, que era o vice, ficou na chefia do Executivo até o fim de 2010, ano em que tentou a reeleição, mas foi derrotado. Desde então, Iberê estava afastado da política.

Na Câmara de Vereadores de Areia Branca/RN, haverá o julgamento do réu Antonio Anízio acusado pelo homicídio de Thopson Valério





Nesta quinta-feira, dia 11 de setembro de 2014 às 09h00, na Câmara de Vereadores de Areia Branca/RN, haverá o julgamento do réu Antonio Anízio Neto pelo homicídio de Thopson Valério de Oliveira, onde teria disparado um tiro no rosto da vítima, ocorrido no dia 28 de abril de 2002 no povoado de Gangorra. O réu Antonio Anízio Neto foi denunciado por homicídio duplamente qualificado.
Thopson, era o mais velho de quatro irmãos, estudante universitário da Universidade do Vale do Jaguaribe e tinha 28 anos. Deixou órfã duas filhas, Ohanna Morgana com seis anos e Maria Eduarda com apenas um mês de vida, na época do crime, ambas não puderam conviver com o pai.
A família e amigos aguardam a 12 anos por justiça, vivenciando anos de sofrimento e saudades.

Atenciosamente,

Elvis David dos Santos Lopes

Policia de Grossos prende Alison Kenedy



A policia militar de Grossos prendeu mais uma vez o jovem Alison Kenedy 18 anos, natural de Areia Branca. O mesmo que foi preso em flagrante semanas atrás, após roubar peixes e camarões do restaurante Maria Lucia's na Barra, e prejudicar três pais de famílias que teriam comprado o produto inocentemente.

Segundo Sóstenes o elemento estava preso em Areia Branca, por praticar outro furto, e teria fugido da cadeia pública.
Um guarda municipal que estava de plantão na hora da fuga, veio a Grossos e comunicou ao comandante do destacamento, que de imediato realizou buscas na zona rural, efetuando a prisão de Alison em Areias Alvas, mesmo local onde foi detido pela primeira vez.
Participaram da operação o Sgt. Sostenes, Sd. Mikael e Genário com o apoio do GM Laene Felipe que se caracterizou de moto táxi, para dar carona e prender o acusado
 
 
GM Laene
Foto: Arquivo



  1. informações e fotos : o facho

Detentos iniciam greve de fome nos maiores presídios do RN, diz Coape

Coordenação de Administração Penitenciária ainda não sabe motivo.
Greve de fome acontece em cinco unidades prisionais e quatro cidades.

 

Penitenciária Estadual de Alcaçuz (Foto: Ricardo Araújo/G1) 
Penitenciária Estadual de Alcaçuz é a maior unidade
prisional do estado (Foto: Ricardo Araújo/G1)
Os presos dos maiores presídios do Rio Grande do Norte iniciaram uma greve de fome na manhã desta segunda-feira (1) em quatro cidades potiguares. A informação foi confirmada pela Coordenadoria de Administração Penitenciária (Coape). A coordenadora Dinorá Simas explica que ainda não se sabe o motivo da atitude dos detentos.

"Não aceitaram o café da manhã e nem o almoço. O serviço de inteligência está trabalhando para descobrir a motivação da greve de fome", afirma Simas. De acordo com a coordenadora, os presos estão com suprimentos após as visitas do fim de semana.

A greve de forme ocorre em cinco unidades prisionais. São elas a Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta; na Penitenciária Rogério Coutinho Madruga, conhecida como Pavilhão 5 de Alcaçuz; na Penitenciária Estadual de Parnamirim, em Parnamirim; na Cadeia Pública de Natal; e Penitenciária do Seridó, em Caicó.

 

Acidente com moto em Ponta do Mel deixa um morto e outro ferido


     
    Um acidente envolvendo dois motociclistas ocorrido em Ponta do Mel, zona litorânea de Areia Branca, deixou uma pessoa morta e outra ferida na tarde deste domingo (31).

   De acordo com informações colhidas no hospital local, as vítimas foram localizadas caídas próximo de suas motocicletas na rodovia estadual 404, que dá acesso ao litoral areia-branquense.

   A vítima identificada como Jorge Eder de Souza Fonseca, 31 anos, morador da vila-praia de Ponta do Mel chegou a ser socorrida por uma ambulância do serviço municipal, mas já chegou ao Hospital Sara Kubitschek, em Areia Branca, sem vida.

   Já a segunda vítima identificada como Francisco Raimundo da Silva, 28 anos, morador da praia do Rosado, em Porto do Mangue, que sofreu várias escoriações pelo corpo recebeu atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), e em seguida foi direcionada para atendimento no Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, onde passa por exames especializados.

CANDIDATO DA COSTA BRANCA É O QUARTO MAIS CITADO EM PESQUISA



Candidato com aposta em representatividade na Assembleia Legislativa, principalmente para a Costa Branca, o ex-prefeito areia-branquense Manoel Cunha Neto (PHS), o “Souza”, está eufórico. Tem motivos.
SOUZA-PREFEITO-DE-AREIA-BRANCA_thumb1
A pesquisa do Instituto Consult divulgada nessa quarta-feira (27), sob encomenda da FM 98 de Natal e Blog do BG, o apontou como quarto nome com maior intenções de voto no segundo maior colégio eleitoral do estado: Mossoró. Ficou atrás apenas de dois candidatos nativos e um outro do movimento evangélico.
Ele alcançou 0,09% pontos percentuais. O terceiro colocado foi o evangélico natalense Adenúbio Melo (PSC), com 1,7%; segundo é o atual deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM) com 7,7% e a primeira colocação com a deputada estadual Larissa Rosado (PSB), detentora de 23,10%.
“É impossível a gente se dissociar de Mossoró. São relações de trabalho, familiares, de amizade e políticas”, garante. “Minha campanha em si, é pregando a necessidade de darmos uma dimensão de força maior à Costa Branca, na Assembleia Legislativa”, afirma Souza.
Área geopolítica
“Precisamos lutar para sermos tratados de forma diferenciada, a partir da própria Mossoró”, argumenta Souza.
Ele comenta, que sua campanha trabalha um espaço geopolítico de mais de 22 municípios, dentro da “Coligação União pela Mudança III”, formada por cinco partidos. “Estamos trabalhando municípios como Areia Branca, Porto do Mangue, Serra do Mel, Grossos, Tibau, Baraúna, Governador Dix-sept Rosado e Mossoró, mas também chegando à Upanema, Vale do Açu, Sertão Central e Oeste”, enumera.
Ex-vereador, ex-vice-prefeito duas vezes, ex-prefeito em dois mandatos e mentor da Associação dos Municípios da Costa Branca, que chegou a ter mais de 15 associados, Souza diz que tem um elenco de prioridades para defender na Assembleia Legislativa. “Conheço cada município da região e sei de nossas maiores necessidades. Além disso, sei ouvir a todos”, assinala.
PROPOSTAS – Ele defende instalação de fábrica de cimento às margens da BR-110 entre Areia Branca e Mosssoró, com formação de mão-de-obra para aproveitamento na indústria e outros serviços que vão se agregar; duplicação da RN Mossoró-Baraúna e construção da Estrada da Castanha (Serra do Mel-Carnaubais);  edificação da ponte entre Grossos e Areia Branca; urbanização da orla marítima e construção de parque de lazer e turismo em Tibau; requalificação do Porto de Areia Branca e Construção do Porto do Mangue; investimento na recuperação da cadeia produtiva do cajueiro e da fruticultura do agropolo Mossoró-Assu.
Souza destaca, também, ampliação do parque industrial de empresas da cadeia produtiva de Energia Eólica e Solar no litoral e Chapada do Apodi e defesa por uma escola técnica para formação de profissionais à indústria de energia renovável, gás e petróleo.
“O turismo precisa ser tratado de modo articulado, integrado e sistêmico por todos os municípios. Temos sol e sal o ano inteiro, muitas belezas naturais únicas, história e cultura, mas tudo disperso e sem uma estrutura de fomento econômico, formação e aproveitamento de mão-de-obra”, conclui.

Liminar Concedida Luana Bruno estar de volta a prefeitura de Areia Branca

Decisão Liminar em 25/08/2014 - AC Nº 102724 Ministro JOÃO OTÁVIO DE NORONHA
DECISÃO

Vistos.
Trata-se de ação cautelar, com pedido de liminar, ajuizada por Luana Pedrosa Bruno e Lidiane Micheli Campos Garcia, candidatas eleitas para os cargos de prefeita e vice-prefeita do Município de Areia Branca/RN no pleito de 2012, visando à atribuição de efeito suspensivo a recurso especial interposto contra acórdão do TRE/RN que lhes impôs a cassação de diploma, a condenação ao pagamento de multa e inelegibilidade.
Na origem, a Coligação Areia Branca Mais Feliz Para Todos ajuizou ação de investigação judicial eleitoral em desfavor das autoras e dos antigos prefeito e vice-prefeito do Município de Areia Branca/RN, Manoel Cunha Neto e José Bruno Filho, com base nos arts. 41-A, 73, V, §§ 5º e 10, e 77 da Lei 9.504/97 e 22 da
LC 64/90, em razão de captação ilícita de sufrágio, conduta vedada, abuso dos meios de comunicação social e abuso de poder político.
Os pedidos foram julgados improcedentes em primeiro grau de jurisdição (fls. 73-83).
O TRE/RN reformou a sentença por reconhecer a existência das seguintes condutas ilícitas (fls. 134-168):
a) abuso de poder político e econômico e captação ilícita de sufrágio em virtude da inauguração de hospital público inacabado a apenas dois dias da eleição, com o propósito de promover a campanha da candidata Luana Pedrosa Bruno, filha do
vice-prefeito à época José Bruno Filho e que o substituiu na candidatura para a chefia do Poder Executivo Municipal 20 dias antes do pleito;
b) abuso de poder político e econômico, bem como captação ilícita de sufrágio, em razão da nomeação de 46 servidores públicos em período vedado, sendo que para 3 deles o prazo de validade do concurso público já havia expirado. Além disso, 34 desses 46 servidores foram convocados na semana que antecedeu o pleito;
c) abuso de poder político decorrente da determinação do prefeito Manoel Cunha Neto de que atos de nomeação e readaptação de servidores públicos municipais fossem publicados com data retroativa com o objetivo de fugir das vedações legais;
c) concessão irregular de bolsas de estudos de nível superior, nos três meses que antecederam o pleito, extrapolando-se as vagas autorizadas pela lei municipal de regência;
d) uso indevido dos meios de comunicação social por meio da utilização de 2 servidores ocupantes de cargos comissionados para fazer, em seus próprios blogs, maciça publicidade em favor da candidatura da situação, sendo que algumas postagens no blog ocorreram em horário de expediente.
Contra esse acórdão, Luana Pedrosa Bruno e Lidiane Micheli Campos Garcia interpuseram recurso especial eleitoral, o qual foi admitido pela Presidência do TRE/RN.
Na presente ação, as autoras aduzem infringência do art. 275, I e II do Código Eleitoral e alegam omissão na análise dos seguintes pontos:
a) a petição inicial da ação de investigação judicial eleitoral não apontou captação ilícita de sufrágio nem a nomeação de servidores públicos cujo prazo de validade do concurso já havia expirado, circunstância que implica cerceamento do direito de defesa;
b) ausência de prova quanto à compra de votos;
c) ausência de prova da participação dos investigados nas condutas consideradas ilícitas.
No mais, sustentam:
a) violação do art. 41-A da Lei 9.504/97 porquanto o acórdão recorrido não indicou a entrega de qualquer benefício em troca de voto;
b) infringência dos arts. 57-B, 73 e 77 da Lei 9.504/97 e 22 da
LC 64/90, pois a cassação do mandato baseou-se em presunções, não havendo prova robusta acerca do abuso de poder político.
Por essas razões, entendem presente o fumus boni iuris.
O perigo da demora estaria caracterizado pelo afastamento do cargo de prefeita e da vice-prefeita do Município de Areia Branca/RN.
Requerem, liminarmente, a suspensão dos efeitos do acórdão proferido pelo TRE/RN até o julgamento do recurso especial.
No mérito, pugnam pela confirmação do pedido liminar.
É o relatório. Decido.
A concessão da liminar requisita a presença conjugada da plausibilidade do direito invocado e do periculum in mora, o qual se traduz na ineficácia da decisão se concedida somente no julgamento definitivo da ação.
No caso dos autos, ao menos no juízo perfunctório típico das ações cautelares, vislumbra-se a plausibilidade do direito invocado.
Inicialmente, em sede de cognição sumária, verifica-se que o acórdão recorrido não apontou elementos concretos acerca da prática de captação ilícita de sufrágio. Ou seja, não ficou demonstrado de forma cabal o oferecimento de vantagem em troca de votos, razão pela qual a pena de multa baseada no referido ilícito deve ser afastada.
No mais, extrai-se do acórdão recorrido que o abuso de poder político e econômico decorreu da inauguração de hospital público inacabado a apenas dois dias da eleição, com o propósito de promover a campanha da candidata Luana Pedrosa Bruno, filha do vice-prefeito à época José Bruno Filho e que o substituiu na candidatura para a chefia do Poder Executivo Municipal 20 dias antes do pleito.
Todavia, em juízo preliminar da causa, verifica-se que o acórdão regional deixou de apontar a existência de provas quanto à ocorrência de qualquer ato de campanha eleitoral na referida inauguração de obra pública. Também foi omisso quanto à análise dos documentos que visavam comprovar que a realização desse evento no período crítico das eleições tinha por escopo o atendimento de notificação dos órgãos fiscalizadores da saúde pública.
O acórdão regional também consignou que houve abuso de poder político e econômico devido à nomeação de 46 servidores públicos em período vedado, sendo que para 3 deles o prazo de validade do concurso já havia expirado. Além disso, 34 desses 46 servidores foram convocados na semana que antecedeu o pleito. Assentou, ainda, que os e-mails enviados da sede da prefeitura para a gráfica oficial do município, ordenando que as nomeações de servidores fossem publicadas com data retroativa, demonstram a finalidade eleitoral dessa conduta, sobretudo porque visavam burlar a vedação legal.
Todavia, em análise preliminar, verifica-se omissão do acórdão recorrido em analisar os documentos que comprovariam o suposto cumprimento de ordem judicial para nomeação dos 3 servidores cujo concurso público já havia expirado.
De qualquer sorte, também em juízo superficial, entendo que a nomeação de 34 servidores na semana que antecedeu o pleito não autoriza a cassação do diploma e a inelegibilidade.
Primeiro, porque não se identificou a gravidade na conduta como instrumento de burla à normalidade e legitimidade das eleições, requisito essencial para a configuração do abuso de poder (AgR-REspe 34915/TO, Rel. Min. Dias Toffoli, DJe de 27/3/2014).
Segundo, porque não se demonstrou relevância jurídica suficiente para provocar a quebra da igualdade entre os candidatos e atingir o bem jurídico protegido pelo rol das condutas vedadas pela Lei 9.504/97 (RO 444344/DF, Rel. Min. Marcelo Ribeiro, DJe de 13/2/2012; REspe 28448/AM, Rel. Min. Marco Aurélio Mello, Rel. designada Min. Nancy Andrighi, DJe de 10/5/2012; RO 444696/DF, Rel. Min. Marcelo Ribeiro, DJe de 2/5/2012).
O acórdão regional assentou, ainda, que a realização de propaganda eleitoral no blog de 2 servidores ocupantes de cargos comissionados, em horário de expediente, configura o uso indevido dos meios de comunicação social.
Todavia, não foi indicada qualquer prova de que a suposta conduta tivesse ocorrido durante o horário de expediente. Ademais, ainda que se tenha por configurado o referido ilícito, não se verifica, aparentemente, gravidade suficiente para comprometer a lisura do pleito (AgR-REspe 34915/TO, Rel. Min. Dias Toffoli, DJe de 27/3/2014).
Por fim, em sede de cognição sumária, também entendo que o acórdão regional merece reforma porque não indicou em que trecho da petição inicial teria sido apontada a concessão irregular de bolsas de estudos de nível superior, nos três meses que antecederam o pleito, extrapolando-se as vagas autorizadas pela lei municipal de regência.
Desse modo, nos limites da cognição liminar, verifica-se a presença do fumus boni juris apto a ensejar o deferimento da tutela de urgência.
Ante o exposto, defiro a liminar para suspender os efeitos do acórdão TRE/RN 270/2014 até o julgamento do recurso especial eleitoral.
Comunique-se ao TRE/RN com urgência.
Cite-se a coligação requerida para apresentar defesa no prazo de
5 (cinco) dias.
P. I.
Brasília (DF), 25 de agosto de 2014.
MINISTRO JOÃO OTÁVIO DE NORONHA
Relator

D DIGITAL NA COPA DO MUNDO 2014

D DIGITAL NA COPA DO MUNDO 2014

D Digital

D Digital

Paulo Gesso

Paulo Gesso

STOP BAR

STOP  BAR
Org: Cleison e Eliene

S.ARAÚJO &CIA. LTDA

S.ARAÚJO &CIA. LTDA
Servindo Bem para Servir Sempre

Minha lista de blogs

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo do blog